<$BlogRSDURL$>

terça-feira, julho 13, 2004

A oração da manhã (os Trabalhos e os Dias) 



Há semanas que queria escrever sobre a minha rotina. É esta: levanto-me pelas 8.30h da manhã e levo o Miguel à escola, ao ATL. Durante o fim-de-semana sinto a falta deste compromisso que é um prazer. Depois atravesso a rua e entro na frescura do Figuras, o café amplo que escolhi para permanecer a ler qualquer coisa até cerca das 10.00h, altura em que saio da penumbra para o calor e a luz da rua. Sempre a mesma. Nunca choveu, sempre sol e vento. Nunca houve demasiada luz no Figuras, nem frescura a mais ou a menos. Nem mudaram os quadros da parede, de mau gosto, pretensiosos, invisíveis. Sempre igual. Nunca atravessei a rua nas passadeiras, sempre ao lado. E sempre senti alívio ao recolher-me ao café. Depois saio e desço o caminho para casa, rodeio a igreja e não me causa perturbação que ela lá esteja. Regresso à minha rua (agora o pó que a cobre como uma patine artificial é, de facto, uma novidade) e subo as escadas. Depois do pequeno-almoço ligo o computador (precisa de afinação) e entro nos Favoritos para ler os meus blogues. Ao longo dos meses tenho reunido cuidadosamente aqueles que mais me divertem e me fazem pensar (preciso sempre de ajuda exterior para s duas coisas).



Aqui fica o percurso dessa caminhada pela rede, de nó em nó (que imagem mais disparatada). Começo pelo Abrupto de Pacheco Pereira, porque sigo a ordem alfabética e quase sempre tem novidades frescas; depois vejo o Aviz de Francisco José Viegas, discreto em tom de verde azeitona que permanece sem nada de novo durante btreves períodos porque o seu autor é um viajante do grande norte; descobri só há poucos dias A Praia, um blogue político-cultural post-moderno de Ivan Nunes, o rosto da Político XXI pré-Bloco de Esquerda; espreito o Aragem, do Miguel Pinto, que escreve sobre a escola com visível preocupação e com experiência; descobri recentemente um homónimo do meu blogue que se chama As [Minhas] Leituras e é de Filinto Melo, que me parece andar ausente da blogosfera; As Minhas Histórias da Catarina, amiga da Catarina, que mo referiu em conversa há dias, ainda não o compreendi mas a sua autora parece ter muitas histórias para contar; o Blog Inspirado é da Ana Carina, minha ex-aluna, que está a terminar o curso de Comunicação Social (Carina actualiza lá o blogue); descobri Caneta de Saia, de Abner Dmitruk Carrazzoni, escrito com sotaque e que muito me confunde (alguém pode ter este nome, alguém pode escrever tão bem e ter 16 anos?); o Canto da Sereia escrito tão sensivelmente por uma blogger Encantada (é como assina os posts); o Caro Leitor de Elder Tanaka merece a visita; causa nossa, de Ana Gomes, Vicente Jorge Silva, Jorge Wemans, Vital Moreira, com opinião de grande qualidade sempre actualizada; uma das minhas visitas mais antigas, o blogue Da escola, do Manuel Dinis P. Cabeça, que terminou já o seu ano na escola de Montemor e escreve frequentemente sobre aquilo que o preocupa e nos preocupa; Diário de Lisboa é uma pequena maravilha de sensibilidade (conheci-o pelo Aviz), de humor e de qualidade literária, escrito por alguém que regressou aparentemente ao Brasil depois de viver em Portugal e ter 4 girafas como vizinhas...; Educação acionária, um blogue que ainda não compreendi (verei depois); o Educação em Debate, de André Pacheco, a quem prometi um comentário sobre indisciplina a propósito de um dos seus últimos posts; fábulas, de uma colega de Aveiro que ainda não conheço o suficiente; o FASCISMO EM REDE de um ilustre desconhecido com quem já modestamente entrei em polémica e sobre o qual escrevi por aqui; FRUTOS MADUROS, do Miguel, um professor; geografismos, um blogue da escola EB 2 3 de Santa Clara, Évora, realizado no âmbito da área de projecto do professor Luís Palma de Jesus (a visitar obrigatoriamente); O Vizinho, de um vizinho que encara a blogosfera como uma rua muito movimentada onde se pode sempre falar com alguém de janela para janela (divertido, inteligente, muito humano, pois claro); Jornalismo e Comunicação, Weblog colectivo criado no âmbito do Mestrado em Informaçõo e Jornalismo da Universidade do Minho; Ma-Schamba, um blogue de Moçambique que termina... mas que vale a pena ainda visitar; mythologyas, um blogue sobre livros e leituras da autora de As Minhas Histórias; Outro Olhar é o outro blogue de Miguel Pinto sobre a escola e a educação em geral; Pastilhas, o blogue de Miguel Esteves Cardoso, brilhantíssimo na forma, criado à imagem de uma farmácia ou de um centro de saúde, mas onde nunca consegui ler nada; Portugal dos Pequeninos, de João M.S. Gonçalves, que cita Alexandre O'Neil em epígrafe e militou a favor da dissolução do parlamento; Portugal e Espanha, um blogue colectivo sobre as relações entre os dois países, com atenção especial aos espaços de fronteira; Professor, professor, Aventuras e desventuras no submundo do sistema educativo português, escreve o autor em epígrafe; Professorices, Notas sobre a Educação Superior em Portugal, de origem açoriano, com o Antero à cabeça; PUXAPALAVRA, um blogue colectivo dedicado à poesia (Natália, Herberto, Sophia, Neruda...) e à política, escrito com sensibilidade e devoção; quadratura do círculo, o blogue oficial do programa da SIC com... Carlos Andrade, José Magalhães, Pacheco Pereira e Lobo Xavier, para publicar o comentário dos espectadores ao programa televisivo dos comentadores; REPÚBLICA DIGITAL - Cenas da vida parlamentar, o blogue de José Magalhães, inscrito no sistema de blogues da Assembleia da República; Rio Acima, blogue de José Paulo Serralheiro, sobre política, educação, culturas, sociedade.. que parece ter terminado; Tabacaria, um blogue a dois (aparentemente) e escrito no adocicado português do Brasil, sobre verso e prosa; um quarto com vista para o mundo, de Miguel Sousa, uma perspectiva da Madeira sobre a educação e a política; Uns e Outros, um blogue político (e não só) de Sofia, com um grande cuidado nas imagens que publica; via de argilla, um blogue de grande qualidade estética e técnica inteiramente dedicado à difusão da interlíngua como língua veicular internacional.

Depois destes passos erráticos que nunca sei onde nem como terminam, vou escrever o que me vai na cabeça. E o tempo que dedico ao meu blogue não o sei contar. À tarde cumpro a minha segunda saída do dia, se é dia de rotina. Quando o sol já declina subo ao Rafael e fico pela esplanada durante uma hora, algo mais. O dia termina na esfera do dia que começou, em redor de um pequeno repertório de movimentos, de ideias, de emoções simples. A visita de algum amigo, às vezes de dois ou três, quebram a rotina. E a excessiva susceptibilidade aos odores (muito exagerada no interior de uma sala do oitavo piso de certa instituição de saúde). É tudo.

Comments:
Professor!!Tenho andado por terras algarvias, mas prometo uma actualização completa!!até uma próxima!
 
Óptimo Ana K, mas o comentário não é uma censura, como é óbvio. Aproveira o Algarve, esse 'glorious eden' da época de Verão.
 
Óptimo Ana K, mas o comentário não é uma censura, como é óbvio. Aproveira o Algarve, esse 'glorious eden' da época de Verão.
 
Enviar um comentário