<$BlogRSDURL$>

terça-feira, maio 11, 2004

O que tenho lido, o que tenho visto 

Volto ao post com um débil e sereno sentido do dever. Escrever, escrever sempre, para devolver em escrita ocasional e pessoal aquilo que lemos de outros. Só isso.
O que tenho lido: nas últimas duas semanas estive um pouco refractário a leituras disciplinadas e consequentes com a minha agenda de leitor errático. A Montanha Mágica continua por desbravar; também não voltei aos Dragões do Éden, que é a minha leitura laica do momento; durante estes dias de "sanatório" terminei a leitura dos quatro primeiros livros do Novo Testamento, nomeadamente o livro de S. João. Continuo agora com os Atos (a tradução é brasileira). Será a minha leitura de rodapé, salvo o sacrilégio. Uma leitura paciente dos "fólios" em papel bíblia, que exige algum método e uma boa motricidade fina para ir passando páginas.
Também tenho estado absorvido na leitura da boa imprensa. Na véspera do alargamento trouxeram-me uma belíssima revista especial do jornal Público: UE a 25 Os Novos Europeus. Um trabalho de mais de 80 páginas sobre os novos países do alargamento, com reportagens dos enviados especiais e textos de enquadramento histórico, cultural e social. Uma leitura que me demorou bastantes horas e que não dei por perdida. Ontem, no café, li na Pública uma excelente entrevista de Maria João Seixas com o filósofo Fernando Gil. Um dos autores do polémico livro que dá pelo angustioso título de Impasses (que o Fernendo Pessoa me prometeu trazer e ainda não...). Hoje li alguns artigos da edição portuguesa do jornal Le Monde Diplomatique, que aqui tem direcção do historiador António Borges Coelho. Este número de Abril, que destaca o 25 de Abril na capa, foi uma oferta do Paulo Lobo. Será também a minha leitura de café dos próximos dias, porque tem muito para ler.
O que tenho visto: ora bem, tem tudo a ver com o 25 de Abril. Nestes 30 anos escreveu-se muito, publicou-se opinião e os inevitáveis CD's e DVD's + o preço do Jornal. O Público fez sair em regime intensivo uma colecção de filmes e gravações alusivas ao 25 de Abril. O conjunto parece-me muito bom e fica bem numa biblioteca pessoal que se preze. As primeiras duas entregas são de canções da época. Mas o DVD nº 3 inclui já (para além de uma longa metragem) os noticiários sorumbáticos do dia da revolução. O DVD nº 5 contém uma obra imperdível: Bom Povo Português, de Rui Simões. Na entrega seguinte temos o mítico documentário Torre Bela do autor franco-alemão Thomas Harlan.
É sobre este filme admirável, que acima de tudo é já um documento de antropologia social, que gostaria de falar. Amanhã.

Comments: Enviar um comentário